“Se existe alguma coisa a respeito da qual se deva fazer exatamente o oposto do que o governo e a mídia lhe dizem para fazer, essa coisa é investir em ouro”. Robert Ringer

 Platina, Seus usos Atuais e Como Investir em Platina



O amplo reconhecimento das propriedades do metal branco e precioso, a Platina, remonta a apenas algumas centenas de anos se comparado aos milhares de anos para o Ouro e para a Prata.
Apesar de ter sido um metal trabalhado por populações indígenas sul-americanas por mais de mil anos, foi somente após as conquistas espanholas do Novo Mundo, nos séculos XV e XVI, que este metal nobre chamou a atenção dos europeus.
Os espanhóis chegaram, de início, a considerar a Platina um empecilho diante das suas atividades e comércio de Ouro. Porém, as extraordinárias propriedades da Platina chamaram a atenção sobre este metal, o qual não podia ser derretido pelo fogo utilizando-se as técnicas de então.
Mais pesado do que o Ouro e virtualmente impossível de sofrer corrosão por gases ou químicos, em 1751 a Platina foi reconhecida como um novo elemento descoberto.

O Uso Inicial da Platina

Durante o final do século XVIII, a Platina teve alguns usos industriais. Foi usada para fazer instrumentos de laboratório duráveis em Berlim, em 1784. Na França foi usada para a fabricação de cadinhos para a produção de vidro. Ainda hoje é utilizada para esse fim.
A Platina passou também a impressionar joalheiros e ourives. Conhecidos trabalhadores em metal, como Marc Janety, ourives real de corte de Luiz XVI, e Pierre Chabaneu, da Espanha, começaram a utilizar a Platina para confeccionar talheres caríssimos, relógios, correntes e botões de casacos.

No início do século dezenove, novas técnicas de refino aumentaram a disponibilidade de Platina. A Platina começou logo a ser utilizada em peças de armas, baterias sofisticadas e em células de combustível. Também na produção de produtos químicos cáusticos e purificação de hidrogênio.
A crescente utilização da Platina com o passar dos anos passou a ficar limitada devido às limitações de sua oferta. Porém, em 1820, a Platina aluvial da Rússia foi encontrada junto às minerações de ouro nos Urais.
Passado algum tempo, o Governo Russo passou a utilizar a Platina como dinheiro, chegando a cunhar quase 500.000 onças de Platina, e o que é mais importante, introduziu ao mundo a noção de que a Platina era, tal como o ouro e a prata, uma reserva de valor.

Jóias

As jóias confeccionadas a partir da Platina permaneceram raras até que tochas de joalheria de elevadas temperaturas foram desenvolvidas. Após isto, os fabricantes de jóias passaram a se beneficiar, e muito, com a comercialização de jóias feitas a partir da Platina. Com o passar dos anos, a platina se tornou o engaste preferido para a fixação de diamantes.

Oferta ainda Limitada

As fontes de produção de Platina permaneceram limitadas ainda por um bom tempo. A procura por Platina era essencialmente preenchida pelas atividades de mineração em apenas duas regiões. O Complexo de Bushveld, que fica ao norte da capital da África do Sul, Pretória, produz mais de dois terços do suprimento anual de Platina. O Noril'sk-Talnakh região no extremo norte da Sibéria, na Rússia, fornece a maior parte do restante. A Rússia é o único país com reservas significativas de platina e muitos acreditam que estas podem estar se findando.

Peças de Platina Bullion

Em 1975, o embargo árabe do petróleo provocou aumentos nos preços dos metais preciosos, barras de Platina que eram pequenas o suficiente para o investidor individual comprar foram introduzidas no Japão. Com as grandes mudanças dos preços da Platina durante a década de 1970 e início de 1980, tornando a Platina caríssima, o interesse em investir em Platina como metal precioso se espalhou pela Europa e Estados Unidos. Dois fabricantes de platina, Johnson Matthey & Co. Ltd. e a Engelhard Corporation começaram a produzir barras de Platina de dez onças.

Moedas de Platina

Em novembro de 1983, a Ilha de Man, possessão da Coroa Britânica, cunhou a moeda Platinum Noble Bullion de uma onça de Platina. A moeda Noble de Platina estimulou outros empreendimentos e diferentes e novas moedas de Platina passaram a ser emitidas, independentemente da moeda Noble coin.
Durante a segunda metade de 1988, foram cunhadas a Koala (Austrália) e a Maple Leaf (Canadá). O sucesso dessas emissões de moedas bullion em Platina foi enorme, o que causou uma grande procura por essas peças para fins de investimento.
Por quase dez anos, a Koala da Austrália e a Maple Leaf do Canadá estiveram entre as principais moedas de Platina em liderança de vendas anuais. Só em 1997 foi lançada a moeda de Platina American Eagle.

A Platina, então, desde o ponto em que era considerada como sendo um metal poluente para os conquistadores de Ouro, até o seu reconhecimento como sendo dos mais raros ou até mesmo o mais precioso dos metais preciosos, a odisséia da Platina tem demonstrado seu excelente desempenho como investimento e como um hedge dentre os metais preciosos, com o potencial de ser a mais escassa das commodities industriais.

Os Investimentos em Platina

Atualmente, os três modos principais para se investir em Platina são:

1- A aquisição de moedas de Platina (Platinum American Eagle; Platinum Maple Leaf; Platinum Koala)
2- Barras de Platina, que podem ir de uma onça troy até barras bem maiores.
3- Jóias que contenham Platina

Pelo menos até o presente momento, a política governamental brasileira tem sufocado os investimentos em Platina adquirida do exterior, pois estas peças (moedas e barras de Platina) não são produzidas no Brasil em formatos para investimentos. Pode-se, entretanto, buscar investir em pequenas peças bullion do exterior. Mesmo assim, a carga tributária é elevadíssima.

Entretanto, a opção mais viável nos parece ser a das moedas de Platina supra-citadas. Estas moedas prometem se valorizar muito com o passar do tempo.


Equipe Ouro&Dinheiro

 

"Digo-lhes a verdade: Entre os nascidos de mulher não surgiu ninguém maior do que João Batista; todavia, o menor no Reino dos céus é maior do que ele." Senhor Jesus Cristo. Mateus 11:11